quarta-feira, 21 de setembro de 2016

[Pegadas & Opiniões] 'Vejo-te no Céu' de Miguel Pedrero e Carlos G.Fernández

Autoria: Miguel Pedrero e Carlos G.Fernández
Editora: A Esfera dos Livros
Data de publicação: Julho de 2016
Número de páginas: 239

Sinopse: E quando o nosso animal de estimação parte, quando nos separamos do companheiro de tantas brincadeiras, que percebia quando estávamos tristes ou felizes, que nos recebia com alegria quando chegávamos a casa? Sentimos uma dor imensa e profunda e não queremos acreditar que tudo acabou. Mas, ao contrário do que possamos pensar, também para os animais existe vida para além da morte e este livro surpreendente prova-nos isso mesmo. Se bem que, geralmente, não se acredite que os animais tenham alma, numerosas investigações revelam que sentem amor e ódio, são solidários e inteligentes, distinguem o bem e o mal e, inclusivamente, chegam a manifestar alguma transcendência. A partir desta nova perspetiva, se existe um Além para os humanos, porque não para os animais? Os autores — jornalistas que colaboram em diversos meios de comunicação — recolhem aqui testemunhos emotivos, em primeira mão, acerca da ligação a partir do outro lado e comunicações entre o mundo dos espíritos e o nosso, facilitadas pelo carinho e a proximidade emocional com os nossos animais de estimação. Pretendem assim partilhar informação sobre um assunto que quase ninguém chega a debater e sobre o qual investigaram profundamente: as suas aparições depois de falecerem, o seu sexto sentido, o luto que os donos farão depois da sua morte…
Um livro inquietante que nos aproxima do Além desses animais, com os quais estabelecemos um laço tão forte que aprendemos a perceber do que necessitam e o que sentem.

Opinião:
Vejo-te no Céu é um livro que reúne uma série de investigações e testemunhos reais que nos levam a crer que os animais têm alma, sexto sentido, consciência, sentem dor, amor, tristeza, solidariedade, compaixão.
A maioria das grandes correntes religiosas considera que os nossos animais carecem de alma. Como é possível? Quem o afirma só pode ser alguém que nunca se afeiçoou realmente a um animal ou conhece muito pouco deste reino.
Achei muitíssimo interessante o capítulo dois, Os autores partem do pressuposto que se existe um além para as pessoas também tem de existir um para os animais. Assim, compilaram várias histórias e testemunhos emotivos que nos vão surpreendendo e cativando ao longo de oitenta páginas. A que mais me surpreendeu foi a 'Bob avisou que ia morrer', que nos conta a experiência do escritor Rider Haggard. O escritor teve um sonho onde se sentia a afogar e via o seu cão estendido entre as plantas de uma lagoa, parecia que o seu cão estava a tentar falar e comunicar de que estava prestes a morrer. Rider e a sua esposa não deram muita importância ao assunto pois tinham visto ainda nesse dia o seu cão a passear em matilha, até que se aperceberam que Bob desapareceu e só o encontraram 4 dias depois a flutuar numa lagoa a pouca distância de casa. Segundo o veterinário que examinou o corpo do cão, o mais provável era que Bob tivesse falecido precisamente na noite em que o escritor tinha sonhado com ele. Arrepiante!
O Dali, o meu cão há cinco anos, e eu temos uma proximidade emocional única. Revi-me, sem dúvida, em muitas partes desta obra muito simples e acessível.
Aconselho este livro a todos os amantes de animais. É realmente um livro muito interessante e elucida-nos para uma série de questões relevantes no convívio com os nossos bichos de estimação e os animais em geral.
Obrigada A Esfera dos Livros, por me ter possibilitar esta leitura.

Classificação:



Nenhum comentário:

Postar um comentário