sexta-feira, 9 de setembro de 2016

[Pegadas & Opiniões] 'A Herdeira' de Elizabeth Adler

Autoria: Elizabeth Adler
Editora: Quinta Essência
Data de publicação: Julho de 2016
Número de páginas: 496
Tradução: Miguel Romeira

Sinopse: Peach de Courmont - criança rebelde, sedutora adolescente, mulher requintada. A neta adorada de Leonie e herdeira da dinastia De Courmont cresceu num ambiente de luxo e está habituada a ter a vida - e o amor - nos seus próprios termos.
Noel Maddox, criado num orfanato do Iowa e habituado às ruas cruéis de Detroit, subiu a pulso desde a linha de montagem até ao poder. Peach, e o império automóvel que ela dirigia, faziam parte do sonho que ele ambicionava ter... a qualquer preço.
Da Paris do tempo da guerra à deslumbrante Cote d'Azur... das salas de reuniões de Detroit às casas apalaçadas de Grosse Pointe e ao campo inglês, as suas personalidade indomáveis colidem numa saga de paixão e poder que tem como pano de fundo um mundo rico e imprudente.

Opinião: Bem, como havia dito anteriormente, sou uma fã incondicional de Elizabeth Adler, não só pelas suas personagens apaixonantes mas também pela forma inteligente como consegue conectar toda a trama.
A Herdeira é a continuação do seu romance anterior 'Sombras de Paixão' (podem consultar a minha opinião aqui).
Mais uma vez, Elizabeth Adler consegue fazer uma contextualização perfeita da época e local que retrata: a segunda guerra mundial, em Paris. 
Neste romance existem duas histórias paralelas, a história de Noel Maddox, um orfão desde cedo apaixonado por carros, e Peach, a herdeira do Império Automóvel De Courmont. Mais tarde Maddox consegue vingar-se no mundo automóvel e a ligação dele com Peach torna-se óbvia.
Léonie, já com cinquenta e poucos anos, teme pela sua vida e pela dos seus entes queridos franceses, bem como pelas suas propriedades que tão importantes são para ela e para a sua família. Enquanto a sua filha Amélie se encontra nos EUA, as suas três netas, Lais, Leonore e Peach, encontram-se retidas consigo em Paris. Lutadoras, tal como a sua avó Léonie sempre foi, vêm-se na obrigação patriota de se aliarem á Resistência Francesa para fazer face ao inimigo. É impressionante a forma como a autora conseguiu construir este cenário de luta dos franceses contra o poder nazi através da família de Léonie.
Para quem já leu 'Sombras de Paixão' é um prazer voltar a reencontrar a vida de Léonie e dos seus descendentes ao longo de mais quarenta anos. Um dos aspectos que achei mais positivos neste romance foi o facto da autora conseguir criar uma história para cada uma das personagens sem se tornar pesado ou desinteressante. É certo que, de todas as personagens, quem ganhou mais destaque foi Peach e Maddox. No entanto, a cada capítulo somos presenteados por mais referências importantes acerca dos restantes, e portanto nenhuma personagem foi descurada.
Achei fascinante o desenrolar da vida de Peach, a mais nova das três gerações, habituada a uma vida de luxo, de algumas más escolhas ao longo dos anos mas cheia de preserverança e esperança. Maddox, por seu lado, não me impressionou tanto e algumas atitudes suas deixaram-me a ferver de raiva. O que acontece é que o seu trágico passado acaba por justificar um pouco as suas atitudes.
Chegando ao fim da leitura, confesso que gostei mais da parte da trama familiar do que a parte do romance entre Peach e Maddox.
Tenho de salientar que a capa do livro está lindíssima e representa muito bem o conteúdo do livro. Parabéns à Editora por isso! E Muito Obrigada, Quinta Essência, por me ter permitido a leitura deste excelente romance histórico, cheio de fortes histórias.

Classificação:

Um comentário:

  1. Terminei ontem de ler este livro e também o adorei.
    Elizabeth Adler tem uma escrita excelente, ao lermos os seus livros parece que estamos mesmo dento do cenário que ela criou.
    Para mim também foi uma classificação de 5 *****

    ResponderExcluir