domingo, 1 de janeiro de 2017

{Pegadas & Divulgações] 'Políticas Sociais em Tempos de Crise' de Social, Cristina Albuquerque e Helena Amaro da Luz.

Sobre a obra: Após a crise global que fragilizou o estado português, em 2008, várias medidas foram tidas em conta, sobretudo económicas e sociopolíticas. No momento em que foi, e ainda é, necessário equilibrar uma Nação, aprendeu-se a viver em austeridade com uma visível readaptação Estatal através de meios e moldes de intervenção, que permitem uma atuação específica e que acedem a uma ação pública mais personalizante que normalizante.

Organizado em duas partes e dividido em oito capítulos e subcapítulos, este livro surge num contexto em que urge a necessidade de se consolidar conhecimentos no domínio do pensamento e aplicação de políticas sociais, contribuindo de forma construtiva para a análise crítica sobre a atualidade da justiça social.

Englobando no seu conteúdo um vasto conjunto de conhecimentos e experiências de sete especialistas na área, o novo livro da editora aborda temas tão pertinentes quanto inerentes, destacando o equilíbrio da despesa social em contextos de austeridade, a evolução das políticas sociais no contexto do Estado providencial português, a situação portuguesa nos últimos anos de convergência ou divergência com a Europa e a compreensão da construção política do direito à saúde como direito social fundamental.

Principais temas abordados no livro:
* O Estado-providência do século XXI: um estado retraído ou um estado “pan-ótico”?;
* Solidariedade na Europa depois da crise;
* As políticas sociais face ao imperativo da sustentabilidade: lógicas emergentes a partir da economia social;
* Das políticas sociais à crise ou políticas sociais para superar a crise?
* Pobreza e novos riscos sociais em Portugal: uma análise da despesa social;
* Políticas de família: uma reflexão crítica evolutiva das políticas de apoio à família em Portugal;
* Políticas de saúde em tempo de crise(s);
* Mais idade, menos participação? Lógicas de “resgate” da cidadania na população idosa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário